Mais de 3 milhões para salvar as abelhas!

abelhas

As abelhas ajudam a polinizar cerca de 80% das espécies florais, permitindo a reprodução de algumas frutas e legumes

Petição quer banir o uso de pesticidas tóxicos. Recentemente, sete espécies de abelhas foram consideradas em risco de extinção.

Quase três milhões e meio de pessoas de todo o mundo já assinaram a petição que pretende levar a agroquímica e farmacêutica Bayer a parar a produção de pesticidas responsáveis por provocar o declínio de abelhas no mundo. Os pequenos passos já foram dados: com 1.2 milhão de assinaturas, as autoridades dos EUA abriram uma consulta formal sobre o uso destes pesticidas e às 2.6 milhões assinaturas iniciou-se a discussão na Europa.

Sem polinização não há alimentos! As abelhas ajudam a polinizar cerca de 80% das espécies de plantas florais. Sem elas, muitas frutas e legumes não conseguem reproduzir-se, com efeitos devastadores na cadeia alimentar. Nesse sentido, os ativistas pedem ao gigante da indústria química que deixe de vender duas substâncias presentes em pesticidas – a clotianidina e a imidaclopride – e que, segundo dizem, provocam a morte das abelhas.

A União Europeia (EU) já decretou uma moratória sobre a venda dos dois químicos, classificados como neonicotinóides desde o final do ano de 2013: o tiametoxame, do gigante suíço Syngenta e o fipronil, do germânico BASF. Os neonicotinóides são usados em sementes plantadas por agricultores e conseguem chegar ao néctar e ao pólen durante a floração. O químico age no sistema nervoso central dos insetos interferindo com a transmissão de estímulos. Os neonicotinóides podem deixar as abelhas desorientadas, impedindo-as de voltar às suas colmeias e diminuir a resistência a doenças bem como a fertilidade.

A EFSA – European Food Safety Authority está também a analisar os últimos dados científicos sobre o problema e pretende apresentar o seu parecer em 2017.

Recentemente a US Fish and Wildlife Service (FWS) colocou sete espécies de abelhas na lista de espécies em extinção: Hylaeus anthracinus, Hylaeus longiceps, Hylaeus assimulans, Hylaeus facilis, Hylaeus hilaris, Hylaeus kuakea e Hylaeus mana.

A poluição, os pesticidas, o desequilíbrio e a destruição do habitat natural parecem estar a conduzir a um problema global: a diminuição acelerada das populações de abelhas. Entre 2012 e 2013, a Europa viu o número decrescer 53% e nos EUA a percentagem foi de 31%.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s