Revolução na produção de queijo

produção de queijo

A Fitozymus Biotech, empresa Luso-Canadiana de Biotecnologia, lançou no mercado uma enzima que vem revolucionar as técnicas de produção de queijo. Obtida a partir da flor do cardo, a descoberta é portuguesa e promete mudanças no setor dos lacticínios.

Chama-se Cynzime e é a primeira enzima 100% natural, obtida a partir da flor do cardo, para produção de queijo.O mérito é português e partiu de uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa que rapidamente percebeu o potencial da descoberta. Criada a empresa Fitozymus Biotech, com capitais luso-canadianos, a pesquisa e desenvolvimento do método de extração natural desta enzima ganhou consistência. Cinco anos depois, e um investimento de quase um milhão de euros, é a apresentada a Cynzime.

Desenvolvida à base de flor do cardo, esta nova enzima é fácil de usar já que é embalada e vendida aos produtores de queijo que só terão que adicioná-la ao leite. Tem ainda a vantagem de diminuir o risco de contaminação do queijo por ação dos microrganismos derivados da decomposição da flor, quando esta permanece armazenada durante algum tempo

Ao Mercado Alimentar, Aurélio Fernandes, managing director da Fytozimus Biotech, explica “refinámos as técnicas de extração o que provou ser extremamente eficaz na produção de diversos tipos de queijo, incluindo os produzidos a partir de leite com baixo teor de gordura e reconhecidas capacidades dietéticas”. Para já, os testes realizados com leite de camela na Mauritânia e com leites de cabra, vaca, ovelha e búfala, executados em Portugal, França e Canadá revelaram elevada eficiência de coagulação e uma excelente qualidade do produto final.

Além do desenvolvimento de novas texturas e aromas em diferentes tipos de queijo, a nova enzima pode também contribuir para reduzir os custos de produção. Como relembra o responsável, atualmente a densidade do cardo no país está a diminuir e, por vezes, há que importá-lo de Espanha. A isso acresce o fato de a planta só surgir no final da primavera o que condiciona a produção. “Com a Cynzime, o produtor do queijo tem a garantia que o produto tem a mesma consistência e qualidade ano após ano”, atesta o responsável.

Em Portugal são inúmeros os produtos que poderão beneficiar desta descoberta. Os queijos que usam a flor do cardo são os tradicionais como o da Serra, Serpa, Azeitão. Esta enzima poderá ainda ser utilizada em queijos das regiões típicas de fabrico como por exemplo do Alentejo (queijo de Évora, Beja e Serpa), Azeitão (merendeiras), Beiras (queijo de Castelo Branco e do Rabaçal), Tomar, Sintra e Mafra (queijinhos frescos ou saloios).

Para já, a empresa está a distribuir a enzima a vários produtores nacionais e desde julho de 2013 que estão operacionais as instalações da Fytozimus, em Lisboa.

A nível internacional a empresa já exporta para os Emirados Árabes Unidos, França, Israel, Holanda e Mauritânia. No mercado norte-americano a parceria com a Enzyme Development Corporation, uma das maiores empresas norte americanas de enzimas, permitirá a distribuição do produto nas maiores empresas de produção de queijo dos EUA, Canadá e México.

Saiba mais aqui.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s